sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Indicação de leitura

  • SOAREZ DE OLIVEIRA, A.M. Relação homem/natureza no modo de produção capitalista
    Scripta Nova, Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Sociales, Universidad de Barcelona, Vol. VI, nº 119 (18), 2002. [ISSN: 1138-9788]

    Para deixar ainda mais claro, a homem-natureza e trabalho.
    Esse texto traz as conceituações de natureza por diversos autores e pontos de vista, mostrando didaticamente além da epistemologia as implicações do modelo de produção capitalista na forma dual como percebemos a natureza atualmente.
    E ainda para pensarmos também a crise ecológica, que discutiremos em breve.

    E uma curiosidade, que associa design, tecnologia e preservação (?).
    Crença de que a tecnologia e a racionalização supera a dinâmica natural.

sábado, 25 de agosto de 2012

Conhecendo os autores III - Friedrich Engels e Milton Santos


O prussiano Friedrich Engels (1820-1895) é mais conhecido pela parceria com Karl Marx na redação do Manifesto do Partido Comunista (1848). No entanto, deixou extensa bibliografia, de grande valia para os estudos geográficos. A seguir, mais sobre a obra do filósofo:


"A grande indústria, pelo fato de ter criado o mercado mundial, levou todos os povos da Terra (...) a uma tal ligação uns com os outros que cada povo está dependente daquilo que acontece a outro. Além disso, em todos os países civilizados ela igualou de tal maneira o desenvolvimento social, que em todos esses países a burguesia e o proletariado se tornaram as duas classes decisivas da sociedade e a luta entre elas a luta principal dos nossos dias. A revolução comunista não será, portanto, uma revolução simplesmente nacional; será uma revolução que se realizará simultaneamente em todos os países civilizados".
Engels em "Princípios Básicos do Comunismo", texto bastante didático escrito em 1847.

***


Já Milton Almeida dos Santos (1926-2001), baiano da região da Chapada Diamantina, foi o único brasileiro agraciado com o Vautrin Lud, maior premiação internacional em Geografia. Publicou mais de 50 livros durante sua longa trajetória, que contou ainda com períodos de estadia na África, na Europa e em outros países da América. Saiba mais:


"Os geógrafos, ao lado de outros cientistas sociais, devem se preparar para colocar os fundamentos de um espaço verdadeiramente humano, um espaço que una os homens por e para seu trabalho, mas não para em seguida os separar entre classes, entre exploradores e explorados; um espaço matéria inerte trabalhado pelo homem, mas não para se voltar contra ele; um espaço, natureza social aberta à contemplação direta dos seres humanos, e não um artifício; um espaço instrumento de reprodução da vida, e não uma mercadoria trabalhada por uma outra mercadoria, o homem artificializado".
Santos no último parágrafo de "Por uma Geografia Nova: da Crítica da Geografia a uma Geografia Crítica", publicado pela primeira vez em 1978.

sábado, 18 de agosto de 2012

Conhecendo os autores II - Hildebert Isnard


Hildebert Isnard (1904-1983), geógrafo francês, é o autor de "O espaço do geógrafo", leitura da aula 3. De nome semelhante, seu livro "O espaço geográfico" (1978) é importante referência de método na Geografia. Sua obra inclui, ainda, uma série de textos a respeito de países africanos e da região mediterrânea. Como há pouco material em português, os links a seguir estão em francês:


“Seria nada compreender do que é considerado geográfico, ver no espaço somente um suporte da ação humana, enquanto que na verdade o espaço é uma construção da sociedade, cuja produção não é só uma manifestação mas a sua própria realização. Existe com efeito uma dialética espaço-sociedade; os homens criam o espaço e, nesta obra de criação, organizam-se em sociedade”.
Isnard em "O espaço geográfico" (1982, p. 84).

Conhecendo os autores I - Manuel Correia de Andrade


Manuel Correia de Andrade (1922-2007), importante geógrafo pernambucano, é o autor de "Geografia, ciência da sociedade", leitura da aula 1. Mais sobre a vida e a vasta obra do professor nos links a seguir:


"Quando me formei, geografia e história eram o mesmo curso. Então, eu não sei se me consideraria geógrafo ou historiador. Também porque acho que a geografia, ao analisar o espaço, vê os marcos que existem naquele espaço. Mas esses marcos não foram feitos hoje, são o resultado de uma evolução histórica. Por isso é que eu me preocupo muito com a história".
Andrade, em entrevista na qual trata de assuntos como sua trajetória, influências, participação política, reforma agrária e o Brasil dos anos 2000.


Links complementares - aula 2

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Caros Alunos!

Este é um pequeno guia de dicas para a elaboração do Pôster Científico! Conforme consta no programa, esta será uma forma de avaliação e também a oportunidade de já entrar em contato com esta ferramenta muito utilizada em congressos e encontros acadêmicos. Junto com o pôster lhes é solicitado um pequeno trabalho de pesquisa que deve ter de 3 a 5 páginas.

Dicas do Trabalho de Pesquisa:
  • Escolha seu tema dentre os estipulados no programa;
  • É muito importante que a pesquisa seja bem embasada nas leituras realizadas, porém é bem interessante que algumas ideias e pontos de vista despertados durante a pesquisa sejam trabalhados. Como podem perceber, o trabalho impresso não é muito grande, apenas 5 a 8 páginas, então a coesão e concisão também deverão ser bem trabalhadas para que não fique muito superficial.
  • A apresentação do Pôster Científico serve justamente para que a sua carga de pesquisa e ponto de vista sobre o tema sejam explicitados. Por isso, não caia na tentação de fazer uma pesquisa “rasa” para o trabalho escrito, pois o seu preparo será demonstrado, principalmente, durante a apresentação. No trabalho escrito, fica muito mais fácil organizar as ideias se você já possui um planejamento para a apresentação; dessa forma, consegue com maior facilidade ser conciso.
  • O trabalho escrito deve conter:
Introdução – Apresente o tema escolhido e faça observações pertinentes.
Pesquisa e Discussão – Conteúdo pesquisado que deve ser trabalhado com as ferramentas e conceitos que os autores que encontrar sobre seu tema fornecerão. Caso deseje, você pode subdividir o tópico.
Conclusão – Ordene o pensamento das informações coletadas e a discussão de forma sucinta, fechando o trabalho.
Referências – Não esqueça das referências! Elas são muito importantes também, porque além de creditar a fonte de conhecimento, servem para pesquisas e consultas futuras!
  • No canto esquerdo do Blog consta o link para as normas da ABNT.

Dicas para o Pôster Científico:

O Pôster Científico é uma ótima forma de transmitir conhecimentos e novas ideias de maneira objetiva. Abaixo, seguem algumas dicas de como realizá-lo e também do que evitar. Um modelo está disponível para que você possa ter um parâmetro.

Dicas de Ouro!
  • Primeiramente, é importante entender que, embora o pôster seja uma forma econômica de apresentar um conhecimento, ele deve conter essencialmente o que você deseja comunicar. Não pode ser algo que necessariamente precise de você para explicá-lo, mas também deve servi-lo quando você estiver defendendo sua pesquisa;
  • A segunda dica está ligada à primeira. Como o pôster é uma ferramenta de comunicação visual, é necessário que não seja muito carregado de texto. Para isso, figuras, fluxogramas, esquemas, mapas e outras formas de organização sintética do conhecimento podem ser utilizados;
  • É muito importante que o pôster traga suas referências de pesquisa e que você, na sua exposição, consiga explorar as informações e conceitos dos autores pesquisados no seu tema.

Dicas Técnicas!
  • O título deve ter um bom destaque, permitindo que um visitante em potencial saiba facilmente do que trata o trabalho;
  • Use fontes grandes, como 24 pt para o texto, 34 pt para os cabeçalhos e 70 pt para o título. Uma pessoa deve ser capaz de ler o pôster confortavelmente a 1,5 m de distância. Cuidado com fontes incomuns, que podem não estar disponíveis na gráfica da esquina. Dê preferência a fontes não serifadas (sem ornamentos), tais como Arial, Verdana ou Tahoma, pois elas facilitam a leitura a longa distância. Evite misturar fontes muito diferentes;
  • As diferentes seções devem estar bem separadas uma das outras, a fim de facilitar para o visitante reconhecer onde está cada seção do trabalho. Costuma-se dividir o pôster em três colunas, para que fique mais amigável à leitura. Porém no modelo você pode perceber que existem outras formas de organização;
  • As figuras devem ser atraentes e explicativas. Use o bom senso;
  • Um bom pôster, conforme citado na dica de ouro, deve ter pouco texto; contudo, deve conseguir comunicar por si o intuito da pesquisa;
  • Lembre-se: o pôster é sua ferramenta! É muito importante o seu preparo, até para que você se sinta mais seguro e tranquilo na apresentação;

Espero ter ajudado!
Abraços!

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Material de estudos

Os textos indicados na disciplina estão:
na biblioteca
disponíveis para cópia do xerox da elétrica
E sempre que houver, disponibilizados em links pelo BLOG.

Se encontrar algum texto on line não divulgado no BLOG,
 ou puder escaneá-lo por favor nos envie, para socializarmos entre os alunos.

sábado, 4 de agosto de 2012

Textos indicados para resenha

A geografia e o entendimento do sistema mundo
Texto 01: “As ideias geográficas na antiguidade”; “A geografia na idade média” e “A geografia dos tempos modernos”. In: ANDRADE, Manuel Correia de. Geografia, Ciência da Sociedade: uma introdução a analise do pensamento geográfico. São Paulo: Editora Atlas, 1987. pp.20-45.

O espaço geográfico: aspectos conceituais
Texto 02: “O espaço do geógrafo” (ISNARD, H.). In: Boletim Geográfico. Rio de Janeiro. no. 258/259, jan./dez. 1978, pp.05-17.

O trabalho, as técnicas e as sucessivas transformações do espaço geográfico
Texto 03A: “O Papel do trabalho na transformação do macaco em homem”. IN. ENGELS, F. O papel do trabalho na transformação do macaco em homem. São Paulo, Global Editora, 1986. pp. 11-37.

Texto 03B: “As técnicas, o tempo e o espaço geográfico”. In: SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço: técnica e tempo; razão e emoção. São Paulo, Hicitec, 1996. pp. 25-49.

A contribuição da geografia dos viajantes para o conhecimento dos povos do Sistema Mundo
Texto 04: GARDNER, George. Viagem ao Interior do Brasil, principalmente nas províncias do Norte e nos distritos do ouro e do diamante durante os anos 1836-1841. Belo Horizonte: Livraria Itatiaia Editora Ltda; São Paulo: Edusp, 1975. pp.9-32.

A expansão do capitalismo, a formação dos Estados Territoriais e a reorganização política do mundo
Texto 05: “A grande expansão” e “o mundo unificado”. In: HOBSBAWM, Eric J. A Era do Capital 1848-1875. São Paulo: Paz e Terra, 1996. pp. 53-105.

As redes globais da informação
.
Texto 06: “A revolução contemporânea em matéria de comunicação” (Pierre Lévy). In: Revista FAMECOS. Porto Alegre. No. 9, 1998.

O processo de urbanização e de metropolização do mundo
Texto 07: “Redes, nodos e cidades: transformação da metrópole latino-americana (MATOS, Carlos de). In: RIBEIRO, Luiz Cesar de Queiroz (org.). Metrópoles: entre a coesão e a fragmentação, a cooperação e o conflito. São Paulo: Editora Perseu Abramo; Rio de Janeiro: Fase, 2004. pp.157-196

Globalização e a ordem ambiental internacional
Texto 08: “A construção do sistema mundo moderno-colonial numa perspectiva ambiental”. In: GONÇALVES, Carlos Walter Porto. A Globalização da Natureza e a natureza da globalização. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006. pp.22-58.

As empresas, as instituições supranacionais e os movimentos sociais e a organização do sistema mundo contemporâneo
Texto 09: “Introdução: para ampliar o cânone democrático” (SOUZA SANTOS, Boaventura de & AVRITZER, Leonardo). In: SOUZA SANTOS, Boaventura (org.). Democratizar a Democracia: Os Caminhos da Democracia Participativa. [Vol.1]. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002. pp.39-82.

Um novo mundo possível: alternativas e desafios
Texto 10: “A transição em Marcha”. In: SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2000. pp.141-174.

Programa da disciplina


EMENTA

Definição do objeto da Geografia. Fundamentos teórico-metodológicos para análise do espaço geográfico. Distinção entre espaço natural e espaço geográfico. Técnica e política: as sucessivas transformações do meio geográfico. O processo de planetarização do espaço geográfico. Compartimentação do espaço e indissociabilidade das relações entre lugar, região, território e mundo no atual período histórico.


OBJETIVOS

Analisar o espaço geográfico do passado e do presente à luz dos fundamentos teórico-metodológicos das ciências humanas, em particular da geografia. Discutir a construção conceitual do sistema-mundo, da planetarização do espaço e da globalização. A relação do território brasileiro com o mundo será tomada como objeto permanente de reflexão.

PROGRAMA

1. A geografia e o entendimento do sistema mundo
2. O espaço geográfico: aspectos conceituais
3. O trabalho, as técnicas e as sucessivas transformações do espaço geográfico.
4. A contribuição dos viajantes para o conhecimento dos territórios do Sistema Mundo.
5. A expansão do capitalismo, a formação dos Estados Territoriais e a reorganização política do mundo.
6. As redes globais da informação.
7. O processo de urbanização e de metropolização do mundo.
8. As empresas, as instituições supranacionais, os movimentos sociais e a organização do sistema mundo contemporâneo
9. A modernização e a crise do sistema mundo contemporâneo
10. Globalização e a ordem ambiental internacional
11. Um novo mundo possível: alternativas e desafios.

METODOLOGIA

Aulas expositivas, textos para leitura e discussões, trabalho em grupo acompanhado de orientação à pesquisa, exercícios e resenhas.